** ATENÇÃO ** Atualização e Renovação de Licença do Sistema

Todos os clientes deverão atualizar o mais rápido possível o sistema  (segunda a quinta) para corrigir uma falha na liberação de licença e renovação de contrato. A não atualização poderá causar bloqueio inesperado do sistema e possível dano no banco de dados devido a este travamento.

NÃO ATUALIZE NA SEXTA FEIRA

A renovação do contrato de prestação de serviços para mais 12 meses será diferente este ano. O novo contrato será assinado somente uma vez e terá renovação automática através de sua confirmação via sistema. A entrega do contrato assinado (será enviado por e-mail) poderá ser devolvido até 20/01/2017.

CONFIRMAÇÃO DA RENOVAÇÃO CONTRATUAL ON-LINE

Para confirmar a renovação do sistema para mais um ano, após ter sido feita a atualização do sistema, vá no menu ‘Suporte > Informações do Sistema’ e será aberta a tela conforme pode ser visto abaixo:

renovacao1
Os dados da figura acima são ilustrativos

VERIFIQUE A DATA DE VALIDADE QUE SE REFERE ATÉ QUANDO O SISTEMA IRÁ FUNCIONAR NORMALMENTE. APÓS ESTA DATA O SISTEMA ENTRARÁ EM MODO SOMENTE DE CONSULTA.

30 dias antes do término da validade do contrato de prestação de serviços o sistema começará a solicitar a sua renovação, porém, o botão de renovação já estará disponível para a renovação 60 dias antes do término da validade do contrato.

Se o botão de renovação já estiver liberado significa que o contrato deverá ser renovado e para proceder com a sua renovação clique no botão ‘Solicitar Renovação do Contrato’, será aberta uma nova janela.

renovacao2
Os dados e valores apresentados na figura são lustrativos

Nesta janela será apresentado o valor atual da mensalidade e o novo valor para mais um ano de contrato, deverá ser informado obrigatoriamente um e-mail para retorno da confirmação e demais informações juntamente com o contrato para ser assinado, este retorno poderá demorar até três dias úteis.

Caso necessite de mais informações de como atualizar o sistema ou proceder com esta renovação, verifique no manual do sistema em ‘Suporte > Ajuda’, nos artigos ‘Baixar Atualizações’ e ‘Informações do Sistema’.

Mantenha o micro e o sistema seguros.

No ambiente eletrônico não existe segurança 100% confiável, porém, os computadores de sua empresa podem ter uma segurança bem próxima disso utilizando um dos melhores antivírus do mercado e o deixando sempre bem atualizado.

Os antivírus grátis (free) tem uma eficiência de varredura de vírus em torno de 30% e não eliminam spyware, malware, fishing e outros, que hoje são as principais ameaças, enquanto os antivírus pagos têm uma eficiência em torno de 98% e elimina spyware, malware, fishing, etc e invasão de hackers. Recomendamos o NOD32 pois é um dos melhores e mais leves do mercado.

O antivírus da ESET NOD32 mantém a base de dados das vacinas atualizadas automaticamente, porém, o produto (programa antivírus) deve ser atualizado manualmente. O produto só pode ser atualizado a partir da versão 5 (versões anteriores deverão ser desinstalados e instalada a versão 10) e não pode ser atualizado para micros que tenham o Windows XP, pois as novas versões não rodam nesta versão do Windows.

Abaixo instruções de como fazer a atualização do produto:

nod

 

eset

Atualize o produto para a versão 10 você não paga nada por isso.

Para quem já tem uma versão e paga do antivírus NOD32 pode baixar e atualizar o produto para a versão 10 sem pagar mais nada por isso.

Clique >> AQUI << para baixar e instalar a versão 10 do ESET NOD32.

Após baixar o programa no micro execute-o e siga as instruções na tela.

Qualquer dúvida ou dificuldade entre em contato com o suporte via CHAT.

Para quem não tem o NOD32 e gostaria de adquirir para ter mais segurança e menos danos no seu equipamento, por apenas R$60,00* por ano seu equipamento fica mais seguro.

*Valor referente a atualização anual do NOD32, para instalação inicial o valor fica R$ 70,00 e se preferir que a instalação seja feita por nós será cobrada uma taxa de R$ 20,00.

Para mais de um micro tem pacote para até três máquinas, com um valor diferenciado.

Para mais informações clique >> AQUI <<  e verifique no manual do sistema em: Tabelas > Tabelas Valores Serviços, no final do manual.

Retirada do módulo PED

Clientes que utilizam o módulo PED fiquem atentos ao informativo

ped

O PED já vem apresentando erro no decorrer deste ano, pois não está mais autorizado o seu uso e será retirado definitivamente dia 20/11/16 do sistema.

 

Conforme já comentado no informativo 19/2015, e transcrito abaixo:

“O PED (Processamento Eletrônico de Dados) no sistema terá a sua forma de uso alterada. O PED até o momento de forma fiscal foi desenvolvido para a digitação de notas fiscais emitidas em bloco manual e informadas ao sistema para que estas notas manuais sejam enviadas eletronicamente junto com as notas eletrônicas e cupons fiscais pelo sistema ao fisco.

Desta forma de acordo com as novas normas do PAF-ECF o PED está sendo retirado do sistema de retaguarda, pois de acordo com o fisco o mesmo estava sendo utilizado de forma incorreta por algumas empresas. O PED será tirado do sistema e estará presente somente no módulo de emissão de Cupom Fiscal para serem informados os cupons fiscais no sistema quando o ECF (Emissor de Cupom Fiscal) estiver inoperante por algum motivo.”

Para os clientes que utilizam este módulo e ainda não regularizou esta situação foi enviado e-mail no dia 08/11/16 repassando esta informação. Caso utilize o módulo PED e não recebeu o e-mail enviado por comercial@bytecom.com.br favor entrar em contato até dia 15/11 por e-mail.

Mantenha o Sistema Atualizado

O sistema deve ser atualizado pelo menos uma vez por mês para que tudo funcione corretamente. Fazer atualização de segunda a quinta feira.

Para fazer a atualização do sistema vá no menu ‘Suporte’ e clique na opção ‘Baixar Atualizações’, conforme podemos ver na figura abaixo:

atualizacao

Também demos manter as tabelas fiscais atualizadas frequentemente a cada quatro ou seis meses. Para fazer a atualização das tabelas fiscais vá no menu ‘Fiscal’ clique na opção ‘Classificação Fiscal’ e no botão ‘Outros’ escolha a opção ‘Atualiza Tabelas Fiscais’, conforme podemos ver na figura abaixo:

atualiza-2

Início do Horário de Verão – Configurar o Cupom Fiscal

horario-de-verao-entra

No dia 16 de outubro começa o horário de verão e a impressora de cupom fiscal deverá ser configurada e adiantada o seu relógio interno em 1 hora.

O computador também deverá estar com o seu relógio correto, caso contrário pode o PDV-ECF não inicializar por divergência de horários. O relógio do ECF é independente ao do computador, ou seja, alterando o horário no micro não altera o horário no ECF.

COMO ALTERAR O HORÁRIO NA IMPRESSORA DE CUPOM FISCAL – ECF

Para alterar o ECF para entrar em horário de verão no sistema emissor de cupom fiscal (Venda Fácil – CheckOut) clique no ‘Menu Fiscal’ ou tecle F7 no teclado do seu computador e será aberta uma janela, conforme podemos ver na figura abaixo:

menu-fiscal-ecf

Clique no botão ‘Entrar/Sair Horário de Verão’ e será aberta uma janela conforme podemos ver na figura abaixo:

horario-de-verao-1

Mostrando a situação da impressora como Horário de Verão Desabilitado clique no botão ‘Mudar Horário’ e será habilitado o horário de verão na impressora fiscal adiantando o seu relógio interno em 1 hora.

Como podemos ver nas instruções da tela este procedimento só irá funcionar se não foi realizada nenhuma venda no dia e após a redução Z.

NOTA: Este procedimento pode não funcionar em algumas impressoras fiscais mais antigas ou que tenham algum problema neste recurso junto ao sistema. Sendo assim deverá ser feito utilizando o programa específico de configuração do fabricante da impressora fiscal. Se necessitar de algum suporte neste momento entre no chat e informe que o ECF não está entrando em horário de verão pelo procedimento do menu fiscal ou está dando alguma mensagem de erro e o suporte poderá auxiliar neste procedimento.

Alteração fiscal no processo de industrialização

Segue informações referente alteração na legislação que trata do processo de industrialização no caso da empresa  aplicar material ao produto que recebe para industrializar,  as alterações entram em vigor a partir do dia 01/10/2016, conforme DECRETO Nº 872, DE 21 DE SETEMBRO DE 2016.

Nos processos de industrialização onde ocorra a aplicação de matéria prima a nota fiscal de cobrança deverá ser emitida com 2 CFOP’s  o  5.124  para cobrar o serviço (mão de obra) e o 5.102 Revendendo o Material aplicado.

Abaixo exemplo de como é feito hoje e como deverá ser feito.  segue também o Decreto referente a esta alteração.

Alterações  referente a emissão de Nfe de industrialização.

Exemplo:

Como era feito antes do Decreto entrar em vigor

Custo total de uma peça industrializada  R$ 1,50 foram feitas 300 peças,  a Nfe seria feita com o CFOP 5.124 Industrialização, descrevendo o item e multiplicando-se pelo total de peças feitas.

CFOP  5.124   =  300  peças      produto final        R$ 1,50     total   R$ 450,00

TOTAL DA NFE  R$  450,00

Como deverá ser feito

Considerando que o preço do Serviço (mão de obra)  por peça seja 0,50  e que é utilizado 2 materiais para fazer o produto, o produto 1  ao custo de R$ 0,50 o kg  e o produto 2 a  5,00 o KG,  a nfe ficaria assim:

CFOP  5.124   =  300  peças   produto final      R$ 0,50    total    R$ 150,00

CFOP  5.102   =  100   kg       material 1           R$ 0,50    total    R$    50,00

CFOP  5.102   =    40   kg       material  2          R$ 5,00    total    R$  200,00

TOTAL DA NFE  R$  450,00     

Fazendo esta distinção dos itens nas notas fiscais o imposto simples também acaba alterando, pois os itens revendidos serão tributados considerando a alíquota do ICMS  que pode variar de 1,25%  a 3,95%

Caso sua empresa esteja hoje pagando a alíquota de 6,08% do Simples para a industrialização no exemplo acima pagou até o mês de setembro   R$  27,36

A partir  do mês de outubro  irá pagar:

CFOP  5.124 =  150,00 x 6,08 % =    9,12  e

CFOP  5.102 =  250,00 x 8,95  % = 22,37  total do imposto simples R$ 31,49 (Sobre esse CFOP deverá ser destacado o ICMS se empresa normal, e empresa do Simples colocar a mensagem de aproveitamento do crédito)


EMPRESAS QUE NÃO ESTÃO NO SIMPLES TEM DIREITO DE CRÉDITO.

As empresas que não são do regime SIMPLES NACIONAL têm direito de aproveitamento de ICMS e isto deve ser impresso nos dados adicionais da NFE.

Para isto funcionar no sistema deve ter duas informações:

1 – Deve ser colocado no produto na aba fiscal o CST 101 para o produto utilizado e a Situação Tributária informe a situação de 17%, como mostra na figura abaixo.

produto-fiscal

Se não tiver no cadastro da situação tributária 17% o mesmo deverá ser cadastrado acessando o menu ‘Fiscal’ botão ‘Situação Tributária’.

2 – No cadastro da empresa deve ser informado o percentual do aproveitamento que deve ser passado pela contabilidade. Este valor deve ser informado no cadastro da empresa no menu ‘Configurações’ e botão ‘Empresa’, como podemos ver na figura abaixo.

decerto


COMO ALTERAR A DESCRIÇÃO NOS DADOS ADICIONAIS

VEJA NO FINAL DAS INSTRUÇÕES COMO INCLUIR AS INFORMAÇÕES NO SISTEMA.

Emissão da nota fiscal de retorno de industrialização

O “industrializador”, executor da encomenda, deverá emitir Nota Fiscal, modelo 1, 1-A ou NF-e, contra o “encomendante”, para fins do retorno, contendo, além das demais exigências, as seguintes indicações:

I – no campo “CFOP”: 5.902 (operação interna) ou 6.902 (operação interestadual) – Retorno de mercadoria utilizada na industrialização por encomenda.

II – no campo “Informações Complementares”:

a) ICMS Suspenso, conforme o inciso II do art. 27 do Anexo 2 do Decreto nº 2.870/01 – RICMS-SC/01;

b) IPI Suspenso, conforme o inciso VII do art. 43 do Decreto nº 7.212 – RIPI/10.

Retorno dos Insumos Não Utilizados no Processo de Industrialização

Quando o “industrializador” não utilizar, parte ou todos os insumos recebidos anteriormente para industrialização por encomenda, no processo industrial, deverá proceder ao retorno real destes insumos ao “encomendante”.

Emissão da nota fiscal de retorno real dos insumos recebidos para industrialização

Para proceder ao retorno real dos insumos ao “encomendante”, o “industrializador” deverá emitir Nota Fiscal, modelo 1 , 1-A ou NF-e, contendo, além dos demais requisitos exigidos, as seguintes indicações:

I – no campo “CFOP”: 5.903 (operação interna) ou 6.903 (operação interestadual) – Retorno de mercadoria recebida para industrialização e não aplicada no referido processo.

II – no campo “Informações Complementares”:

a) Retorno real parcial ou total, dos insumos não utilizados no processo de industrialização, referente a Nota Fiscal de remessa, número, série e data, bem como o seu valor total.

b) ICMS Suspenso, conforme o inciso II do art. 27 do Anexo 2 do Decreto nº 2.870/01 – RICMS-SC/01;

c) IPI Suspenso, conforme o inciso VII do art. 43 do Decreto nº 7.212 – RIPI/10.

Emissão da nota fiscal para cobrança pela industrialização efetuada por encomenda:

O “industrializador” para efetuar a cobrança pela industrialização efetuada, deverá emitir Nota Fiscal, modelo 1, 1-A ou NF-e, contra o “encomendante”, contendo, além dos demais requisitos exigidos, as seguintes indicações:

I – no campo “CFOP”: 5.124 (operação interna);

a) Do serviço cobrado pelo industrializador:

Na operação interna, o diferimento aplica-se somente sobre o valor do serviço de industrialização, mesmo que o industrializador seja do simples nacional, desde que a mercadoria industrializada seja utilizada para comercialização ou industrialização pelo encomendante;

Para as empresas do simples nacional, no PGDAS deverá a receita do serviço cobrado ser lançado como substituição tributária, em consequência, não será tributado o percentual do ICMS.

b) Da mercadoria de propriedade do industrializador empregada no processo (Início de vigência: 01/10/2016 ):

Destacar o ICMS sobre a mercadoria de propriedade do industrializador empregada no processo,  cobrado do autor da encomenda;

II – CFOP.: 6.124 (operação interestadual) – Industrialização efetuada para outra empresa.

O ICMS, na operação interestadual deverá ser tributado pois, o diferimento do ICMS, do serviço,  aplica-se somente internamente.

III – No campo informações complementares:

– CFOP.: 5.124 ( Serviço cobrado ) : ICMS Diferido, conforme o inciso X do art. 8º do Anexo 3 do Decreto nº 2.870/01 – RICMS-SC/01;

– IPI Suspenso, conforme o inciso VII do art. 43 do Decreto nº 7.212 – RIPI/10 (se for o caso).

COMO FAZER PARA INCLUIR AS INSTRUÇÕES NO SISTEMA

Para incluir nas informações adicionais da nota fiscal as instruções conforme explicado acima, entre no menu ‘Faturamento’, clique no botão ‘NF-e’ e clique na opção ‘Tipo Operações NF’, conforme podemos ver na figura abaixo:

faturamento

Escolha o tipo de operação e clique no botão alterar. Na janela vá em ‘Informações do simples nacional’ e inclua as linhas da instrução, conforme a figura abaixo:

instrucoes-nf

Feito isto em todas as notas serão impressos as instruções conforme alterada.